Fale Conosco
Home / Blog / Mitos e verdades sobre a vacina contra o HPV

Mitos e verdades sobre a vacina contra o HPV

Atendimento / Vacinas / 27 de abril de 2021

A vacina contra HPV é muito importante para prevenir o HPV, o papiloma vírus humano, principal causador do câncer do colo do útero e de outros tipos de câncer, além de verrugas genitais.

Entretanto, ainda circulam muitos mitos e verdades sobre a vacina contra o HPV pela internet.

Por isso, a IMUNE VIDA traz para você um texto confirmando ou desmentindo as principais informações sobre a vacina contra o HPV que circulam por aí.

Vale lembrar também que a vacina contra o HPV não exclui a importância de manter outros cuidados, como exames de prevenção, uso de preservativos etc. 

Boa leitura!

Apenas mulheres devem tomar vacina contra HPV

Mito. Apesar da vacina contra o HPV ter mais foco nas mulheres, é uma vacina que também é indicada para homens, uma vez que protege contra câncer de pênis, ânus, garganta e previne o surgimento de verrugas genitais.

Apenas uma dose é necessária

Mito. A vacina contra o HPV necessita de duas doses para oferecer o máximo de proteção possível contra o vírus.

Estudos confirmam que é preciso um intervalo entre as doses para que ela seja eficaz o suficiente para garantir a imunidade.

Em menores do que 15 anos duas doses já são eficazes para garantir a imunidade.

Para pessoas acima de 15 anos são recomendadas 3 doses.

Tomei uma dose e não tomei as restantes, devo começar o processo de novo?

Falso. Se você não tomou no período recomendado não precisa começar o esquema desde o início, mas apenas complementá-lo.

A faixa etária ideal para receber a vacina é dos 9 aos 13 anos

Verdade. Independente de esta não ser uma faixa etária em que a maioria dos indivíduos apresentem vida sexual ativa, essa é a recomendação da idade ideal de acordo com o Calendário de Vacinação.

Nessa faixa etária foi observado que ocorre uma melhor resposta imunológica das pessoas diante da imunização. Além disso, a vacina é mais efetiva se aplicada antes do início da vida sexual e exposição ao vírus, de fato.

Isso significa que as pessoas não podem receber a vacina contra HPV após os 13 anos? Não!

A aplicação da vacina após essa faixa etária não é contraindicada, mas é importante lembrar que, nesse caso, quando a pessoa já teve contato com o vírus, a eficácia da vacina é inferior. 

Leia também: Vacina atrasada? Descubra o que fazer!

A vacina contra HPV protege contra o câncer de útero

Verdade! Diversos estudos comprovam que a vacina contra a HPV tem 98% de eficácia na prevenção dos HPV tipo 16 e 18, que são responsáveis por 70% dos casos de câncer no colo do útero.

Além disso, a versão quadrivalente da vacina também protege contra os HPV tipo 6 e 11, que são responsáveis por 90% das verrugas genitais.

Se eu me vacinei contra HPV não preciso mais fazer exame papanicolau?

Mito! É fundamental continuar a realização de exames e consultas preventivas. 

O papanicolau, por exemplo, é o principal exame para detectar se há alterações nas células do colo do útero, sendo esta a principal forma de diagnosticar lesões, alterações e doenças que podem causar o câncer do colo do útero ou outras complicações. 

Já tive HPV, então não preciso tomar mais vacina

Mito! Se você já teve a doença, isso não significa que você adquiriu imunidade por exposição ao vírus: você ainda pode ser infectado.

A única coisa que protege contra a reinfecção é a vacinação.

Usar camisinha dispensa a necessidade de vacinação

Mito. O uso de camisinha não garante proteção total contra o HPV, pois, quando infectado, o paciente apresenta o vírus em toda região genital.

Entretanto, a camisinha e os preservativos protegem contra outras DSTs, portanto, não de brecha para o azar e faça sexo sempre protegido.

Gestantes não podem ser vacinadas contra o HPV

Verdade. A vacinação contra o HPV não é indicada para gestantes por não haver estudos que indiquem que a vacina funcione com segurança para essa população.

Contudo, até hoje, não foram encontrados sinais de que a vacina cause má-formação fetal.

O ideal, antes de se decidir, é conversar com um médico para verificar o seu caso e calcular os riscos e benefícios.

A vacina contra o HPV não tem contraindicações

Falso. Embora as vacinas sejam seguras, a vacina contra o HPV apresenta algumas contraindicações em casos específicos.

Essa vacina não é recomendada para gestantes, pessoas acometidas por doenças agudas e pessoas com hipersensibilidade aos componentes da vacina.

A vacina contra o HPV pode causar infertilidade

Falso. Não existe nenhum estudo populacional que relacione a vacina contra a HPV com a presença de infertilidade. 

Para finalizar destacamos que a vacina contra o HPV é uma das vacinas mais seguras já criadas!

E aí? Ficou com alguma dúvida a respeito da vacina contra a HPV? Ouviu outro boato a respeito dela e não sabe se é verdade ou mentira?

Conte pra gente nos comentários! A informação é o melhor remédio contra medos e inseguranças que muitas vezes são causados por mentiras propagadas na internet e nas redes sociais.

E na hora de tomar suas vacinas, conte sempre com a IMUNE VIDA! 

Muito obrigado pela leitura!

Referências

SBIm: Sociedade Brasileira de Imunizações

Ministério da Saúde

GOSTOU DO POST? ENTÃO COMPARTILHE!

Mais Lidas

Especial

Tosse

Leia mais +
Especial

Faringite - Amigdalite

Leia mais +
Especial

Bronquiolite

Leia mais +

Sobre a IMUNE VIDA

Frase curta que descreva a empresa em poucas palavras

Saiba mais

Fale conosco!

Ligue (19) 3243-5825

- ou -

Fale conosco